Páginas

Em Breve:

O quilo do esquilo é o quilo do esquilo no skate da Kate.


08/08/2017

Jornal The Vaka Skateboard Times

(Foto que catamos do site I Hate Flash. Depois entra lá pra conferir as outras fotos tb.)

Sim, juventude rebelde!
Após inúmeros pedidos disponibilizamos para você, leitor que amamos, nosso jornal em formato pdf.
A distribuição continuará ocorrendo na vida real durante os eventos, mas caso você não consiga seu exemplar físico, pode pegar on line e ficar feliz.

Para ler o The Vaka Skateboard Times basta clicar AQUI! ISSO MESMO! AQUI ÓH! THE VAKA SKATEBOARD TIMES.


27/06/2017

Bonde das mulheres skatistas promove encontrão na Praça XV

"Foi tudo muito rápido. Elas chegaram de repente e invadiram o local. Só deu tempo de pegar minhas coisas e sair gritando que era encontrão." - disse a promotora de vendas Gisleidamagalú tavoris, que passava no local na hora do ocorrido.



De acordo com testemunhas o encontrão começou após o horário divulgado em redes sociais, o que não causou maiores transtornos aos participantes, já que boa parte ainda estava à caminho do local do evento. Uma das organizadoras informou que haveria uma skateata da Mauá até a Praça XV, com skatistas carregando cartazes e  dizendo palavras de luta por mais reconhecimento ao skate feminino do município e de outras cidades, o que de fato aconteceu.
Por volta do meio-dia parte do bonde das mulheres unidas chegou à Praça XV, onde se iniciaria as atividades em comemoração ao Dia Mundial do Skate ocorrido no dia 21 de junho. Apesar da chuva fina que resolveu cair, mas que foi (ainda bem) passageira, o local já registrava uma quantidade considerável de skatistas mandando suas manobras radicais em obstáculos móveis, incluindo uma rampinha doada pelo atual diretor e presidente da MHS Skateboarding, Marcelo Marbal.  Cartazes foram colados nas grades que protegiam a Alerj, virando uma pequena exposição da história do skate feminino e agregando a situação atual da categoria.
Crianças sorridentes perambulavam pelo local, mas logo foram atraídas para a mini aula da Escola de skate Rodas Locas, promovia pela skater e artista Onka. Homens e mulheres se divertiam entre as tricks, enquanto pessoas corriam de um lado para o outro na tentativa de arrumar logo o som do evento. Tudo resolvido, e tivemos a oficina de dança, onde as meninas puderam aprender a malemolência do suingue brasileiro afinado com toques de ritmos diversos. Enquanto alguns mexiam o bumbum, outros continuavam a manobrar nos obstáculos. E outros olhavam os movimentos dos bumbuns alheios.
Antes de iniciarem os trabalhos do best trick, era necessário passar a mochila colaborativa entre todos que ali estavam presentes, para que existisse a premiação no final. Com a ajuda de todos, e de um papai noel em pele de skatista gangster menó do passin que descolore cabelo para o carnaval que apareceu do nada, o best trick teve a categoria feminina e masculina, com premiação para as três melhores manobras em cada categoria. A colaboração da galera deixou as mulheres do bonde das mulheres unidas tão perplexas que elas não sabiam se era sonho ou realidade, levando algumas a refletirem sobre o sentido da vida enquanto bebiam cerveja geladinha disponibilizadas pelos skaters e apoiadores Ionir e Agnaldo.
O primeiro best trick foi da categoria masculina, onde a rapaziada elegante decidiu realizá-lo na borda. As mulheres juízas e consumidoras de bons drinks enquanto olhavam e discutiam as manobras, ficaram surpreendidas com o bom aproveitamento do obstáculo. Jovens bonitos e transantes mandavam tricks atrás de tricks ferozmente, mostrando que ali o negócio estava sério.
Passado o best masculino, o evento teve um longo intervalo para que todos pudessem continuar consumindo no isopor, botando a conversa em dia, e dando seu rolé báááááásico , ou até mesmo tirando selfies e links ao vivo para as redes sociais. Depois de um tempo iniciou-se a categoria feminina, onde as mulheres exalando o doce perfume das flores do inverno escolheram a rampa maior e a escadinha como obstáculos para o best. Num momento de fúria de rinoceronte, as meninas se jogaram nos obstáculos, enquanto as pessoas formavam uma plateia enfileirada para a observação pontual das tricks. Os rapazes foram os juízes, e também apoiadores, e público, e líderes de torcida não-organizada para todas as skatistas que estavam competindo. Após a finalização do best, tivemos mais um período de espaço livre para todos andarem.
Na hora de anunciar os ganhadores, as mulheres entregaram as premiações da categoria masculina. E os homens entregaram as premiações da categoria feminina. Tudo de forma linda e amorosa.
No final do evento, já que todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite, as mulheres fizeram uma roda  sentadas no chão para discutirem questões sobre skate feminino. Pesquisadoras da Ufrj mantiveram-se atentas às palavras, enquanto o bonde das mulheres unidas e alguns rapazes discutiam pontos sérios e relevantes que enfrentam no cotidiano. Conversaram sobre o horroroso caso do skatista old de Minas Gerais que criou confusão com as meninas que andam de skate lá, as premiações mais baixas para a categoria feminina (já que fazem o mesmo corre para estarem nos eventos), a marcação de território sem fazer xixi de alguns skatistas que dificultam o livre acesso das meninas a um espaço público chamado pista de skate, entre outras situações peculiares e até pastelonas dignas de um filme dos trapalhões.

O bonde das mulheres unidas é formado pelos coletivos e mídias: Britney´s Crew, Vaka Skateboard, Viva La Vulva, Underground Rio, e todo mundo que chegar.  
Todas as mulheres agradecem ao apoio recebido pela Tatudona , Coletivo XV, MHS , Papai noel em pele de skatista gangster menó do passin que descolore o cabelo para o carnaval  (Robertinho), Meninos do isopor, e TODOS os rapazes que apareceram para curtir o evento e apoiar o skate de maneira geral. Agradecem também TODAS as meninas presentes e/ou que ajudaram a divulgar. E agradecem umas às outras pela correria, pelo esforço, pela união, e pelo fechamento real na hora do vamos ver.

Isso é skateboard !!!


Momento sério: O nome do evento é Go Skateboarding Day 2017 na Praça XV, organizado pelas meninas para comemorar o Dia Mundial do Skate, e também para apoiar o coletivo Minas no Skate, que recentemente foi alvo de preconceito e intimidação.

Nós, skatistas da categoria feminina do Rio de Janeiro, repudiamos toda e qualquer forma de intimidação, preconceito, e segregação. Acreditamos que o skate existe para unir e socializar, algo muito além de competições, publicidades e rankings. Lamentamos o ocorrido com as meninas de Minas, e somos solidárias. Infelizmente ainda existem pessoas de mentes quadradas e fechadas dentro do mundo skateboard.

Agora, voltemos à zoeira....

Coisas que nem todo mundo viu, ou viu e ficou quieto:

- Baby Dylan mordendo o queixo da Mimi de maneira fofa e dolorida (para a mãe);
- Rapazes sentados em fileira observando a aula de dança malemolente;
- Um pacote de batata frita na premiação (curtimos);
- Botaram cigarros também na premiação, mas as organizadoras tiraram pensando na saúde dos aBiguinhus;
- Moças da feira rebolando de longe enquanto rolava a oficina de dança;
- Will Dente parado por 30 segundos para uma foto 3x4;
- Ulisses sem barba grande;
- Rapaz do Fast Food entregando panfletos de desconto no meio do povo e todo feliz;
- Paula e Nava agindo como crianças na entrega da premiação;
- Brother sentado tranquilão no obstáculo comendo quentinha (e oferecendo pra geral);
- Thayná carregando um LP do “Xou da Xuxa”;


Vamos para o resultado final da TeleSena

Masculino:
1-      João Lira com seu Switch tail bigspin
2-      Marcelinho Batista que mandou Hard Heelflip tail slide
3-      Maurício Nava com um Tail bigspin flip out
Feminino:
1-      Kickflip da Vitória Mendonça
2-      Nollie pop shove it da Gabrielle Francine ( que tacou separada três vezes com o pé ferrado). Parabéns, soldado.
3-      Nollie bigspin da Thayná Xou da Xuxa
4-      Bs flip da Sarahhhhhh Lins


Nota da redação: Não tiramos fotos do evento porque a fotógrafa oficial do Vaka estava no shopping trabalhando. A redatora que estava presente no evento não tirou foto porque estava vadiando de skate para cima e para baixo. Pedimos desculpas pela falta de profissionalismo. Usaremos uma foto furtada do coletivo Viva La vulva (@viva.lavulva).